Notícias
O que deve saber sobre o mercado imobiliário
Notícias
Voltar \ IMI vai baixar em 52 concelhos

IMI vai baixar em 52 concelhos

09 jan 2018
IMI vai baixar em 52 concelhos
Ano novo, menos Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI). Ou como quem diz, depois das autárquicas, tempo de cumprir promessas. A maioria das autarquias já cobrava a taxa mínima de IMI que a lei permite, mas 52 decidiram baixar o valor do imposto este ano. Também há mais autarquias a dar o desconto às famílias com filhos: 232 concelhos aderiram ao IMI familiar, que beneficia os residentes com dependentes.
Foram 295 os municípios que comunicaram à Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) a taxa de IMI que pretendem praticar em 2018 dentro do prazo definido (31 de dezembro). Segundo as contas do Diário de Notícias (DN), dos 295 municípios, 234 não alteraram as taxas e entre os restantes 61 só nove conselhos optaram por subir este imposto, ou seja, 52 optaram por baixá-lo.

A redução do imposto vai ter maior impacto apenas em alguns casos. Vamos a exemplos concretos. De acordo com a publicação, em Arruda dos Vinhos, por exemplo, a taxa de IMI vai descer de 0,389% para 0,385%, o que significa que um proprietário com um imóvel avaliado em 85.000 euros vai sentir uma descida de cerca de três euros entre o valor que pagou em 2017 e aquilo que vai pagar em 2018. No entanto, para quem paga IMI em Celorico da Beira, o desagravamento vai ser maior, porque a taxa baixa de 0,5% para 0,4%. Assim, se um imóvel estiver avaliado em 85.000 euros, em vez de 425 euros, o proprietário irá pagar 340 euros.
IMI familiar com forte adesão

A adesão ao IMI familiar também voltou a crescer. O desconto já existe desde 2016, mas este ano os números bateram novos recordes. Ao todo são 232 as autarquias que vão dar este benefício fiscal, que dá um desconto 20, 40 ou 70 euros, consoante o número de filhos das famílias. Os municípios que têm mais famílias com dependentes a residir são Lisboa, Amadora, Loures, Oeiras, Cascais e Braga, sendo que todos vão conceder este benefício aos proprietários.

Fonte: Diário de Notícias